sábado, 13 de novembro de 2010

Poema número dez

We’ll always have the caril


Toma a paixão, por exemplo:
Tem um toque cálido, exagerado
Faz-nos corar, por um bom bocado
Faz-nos temer, descrer da realidade
De muito, nos torna em pouco.
Podem até chamar-me de louco
Mas não sou mais que apaixonado
Dizem os cépticos que quando termina
É de longe a melhor sina,
O melhor atalho que poderia tomar.
Não confirmo, nem desminto.
E se for isto que hoje sinto
Não tenho medo de caminhar…
Talvez falando de forma senil:
Hoje não sou mais que altruísta.
Faltando-me isto, talvez insista:
Instead we’ll always have the caril


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário