quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Poema número dezasseis


Oferenda – Poema para Inês


Entrego-te as primícias
De nosso amor, meu amor:
São as primeiras carícias
As mais sinceras, enamoradas
Com mais paixão e mais ardor…
São os primeiros beijos
Os mais longos, apaixonados
Com mais vontade, mais desejo…
Entrego-te a minha alma.
Alma de poeta vagabundo
Que te entrega o seu mundo,
Pois nada mais te pode dar…
Pena meu coração não ser de ouro
Pois te entregaria tal tesouro
Para não deixares de me amar.


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário