terça-feira, 9 de novembro de 2010

Poema número quatro

Desassossego – Poema para Rita


Sentindo como sinto
Tudo o que tenho cá dentro
Que o poder de um sentimento
É maior que o infinito
Infindo, infindável
Agreste, agradável
Um sorvedouro de sabores
Um poço de amores
Que me afundam assim
Ao longe, o sentimento
Trago fora o que tenho dentro
E vivo só para ti
Não me chames, não te quero
Não te tenho e desespero
E vejo-me a chorar
E as lágrimas que derramo
Pela pessoa que amo
Fazem-me não querer amar
Deitar fora o que tenho dentro
Esquecer-te por momentos
E ao infinito me entregar…

PedRodrigues

1 comentário:

  1. Adoro, adoro, adoro! Já te disse mil vezes, e não me canso, continuarei sempre a dizer :D
    Também com uma musa como eu, era impossível não ter ficado bom :p

    Rita Fernandes

    ResponderEliminar