quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Poema número vinte e dois


Amor a Ferro e Fogo

Posso dizer que quem quero,
Quer-me pouco ou quase nada
E se por ela, triste espero
Gelo ao frio da madrugada.
Quero-a tanto e desespero
De tanto esperar, de tanto querer
Que ela me olhe com desejo
É isso que mais eu quero:
Um olhar, ou mesmo um beijo
Um beijo quente, enamorado
Ardente como o sol do deserto,
Um beijo que aqueça o corpo gelado
E dê certezas, ao que é incerto.
Quero que ela me olhe com certezas
E nunca sem querer…
Pois o brilho dos olhos dela
É a razão de meu viver
Digo enfim que quem eu quero
Essa mulher por quem eu espero
Tira-me o marasmo deste corpo
E se por ela desespero
Por ela amo a ferro e fogo…


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário