terça-feira, 30 de novembro de 2010

Poema número vinte e quatro


Cemitério de Beijos



Um cemitério de beijos
Onde enterro desejos
E tudo aquilo que passei…
Onde mato saudades,
Onde ouço verdades
Das pessoas que amei.
É aqui que reflicto,
Se o Amor é um mito
Ou pura ficção…
É aqui que acredito
Que aquilo que sinto:
Não é Amor, mas Paixão
É onde penso nos lábios dela
No seu corpo de donzela
E no toque de sua mão.
Neste cemitério de beijos
Onde realizo desejos
Sonho para ela regressar…
Sonho que um dia
Tudo isto foi fantasia
E ela nunca deixou de me amar!



PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário