sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Reflexões a quente

Apetece-me matar o Cupido. Com uma seta no coração de preferência. Será que se ele provar do próprio veneno, aprende de vez que os romances modernos não têm piada? Já não há paciência para os beijos na rua e as mãos dadas. Está frio, arranjem um quarto. Maldito Cupido e malditas setas. Será que não se esgotam? Deve-se estar bem lá para o Brasil. Agora é verão por lá. Os romances têm mais piada à beira mar... O calor expande os corpos, mas também me expande o bom humor. O inverno não tem piada. Alguém acha piada a uma árvore despida? Eu não acho... Mas gosto de ver as raparigas semi-nuas no verão. Estranho, quase paradoxal. A culpa deve ser do Cupido. Nunca amei ninguém. Será que ele tem má pontaria? Não deve ter. A julgar pela quantidade de casalinhos que aparecem todos os dias. Deve ser moda. Estarei eu fora de moda? Ou será que o Cupido não gosta de mim? Ele que me arranje uma seta e me empreste o arco, eu procuro por aí... O amor pode estar ao virar da esquina, mas já atravessei tantas esquinas e nunca dei por ele. Às vezes sinto umas picadas no peito, quando vejo uma rapariga bonita. Às vezes as picadas são mais fortes, quando a rapariga é interessante. Será que o Cupido tem uma espada? Será por isso que me apaixono a cada dez minutos? Nunca me apaixonei por dez anos... A culpa é da espada do Cupido. Não deve ser tão letal como as setas. Às tantas tem de a afiar. Ele que venha comigo para o Brasil. Pode ser que lá eu esteja na moda. Pode ser que encontre o amor à beira mar. À beira mar não há esquinas. Às tantas o amor não está ao virar da esquina. Às tantas o Cupido não tem culpa. Dificilmente se acerta em algo que não se vê. Cada seta é um tiro de sorte. Antes do virar da esquina ninguém vê ninguém. Talvez o amor seja sorte, e os romances modernos sejam prémios da lotaria. Talvez a culpa não seja do verão, do inverno, das árvores despidas, ou dos corpos despidos... Talvez a culpa não seja do Cupido. Mas, mesmo assim, apetece-me matar o Cupido com uma seta no coração. Talvez a culpa não seja dele, mas estou certo que minha não é de certeza!


PedRodrigues

1 comentário:

  1. Andas a passar as esquinas erradas Pedro AHAHAHA ;)

    ResponderEliminar