sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Reflexões a quente

Hoje é a noite de Natal. O Pai Natal enganou-me. Eu até me portei bem este ano... Ele não deve gostar muito de mim. Cá para mim é da velhice. Nunca ouvi falar na Mãe Natal. É um velho solitário, o Pai Natal. Espero não ter o mesmo fim dele. Que velho hipócrita. Prega a alegria e é uma pessoa solitária. Aposto que não é feliz. Nem acredito em altruísmo radical. Somos todos altruístas quanto baste. Sinceramente, já fui mais fã do Natal. Hoje cheira-me a consumismo, misturado com o cheiro das rabanadas e do azevinho. Mas, continuo fã. Todos os dias prego ao velhinho hipócrita em vão. Não deve ir com a minha cara. Ou então, as preces não chegam ao sítio onde ele vive. Talvez o amor não caiba no sapatinho... Realmente, tenho muito amor para dar. Não gosto de dar amor a preço de saldo. Mas, sou uma pessoa generosa. Apaixono-me a cada dez minutos. Gosto de várias mulheres, embora seja monógamo como os pinguins. Sou monógamo pela pessoa certa. Peço desculpa a todas as outras. Vou dar umas férias ao Pai Natal este ano. Ele que faça um desvio para sul e fique por lá. O velhinho hipócrita também tem direito a ser feliz. Pode ser que encontre a Mãe Natal e deixe de ser hipócrita. Eu gosto de velhinhos felizes. Talvez o velhinho feliz me faça a vontade. Já estou farto de esperar. Já estou farto de dar amor ao próximo. Tenho tanto amor para dar e ninguém para o receber. Tenho pena do velhinho hipócrita. Tenho pena de mim. Já gostei mais do Natal. Tragam-me droga que o amor já não me dá ressaca. Tragam-me o amor que eu dou-lhe uso. Só é pena não o dar a quem merece. Estou farto de dar amor a preço de saldo. Estou farto de me apaixonar por dez minutos e a cada dez minutos. Tenho pena do velhinho hipócrita. Gostava que fosse um velhinho feliz. Talvez o velhinho feliz me traga a felicidade no saco. Sou fã de finais felizes e amores ao preço do ouro...


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário