sábado, 29 de janeiro de 2011

Poema número trinta, ou: o amor é o melhor remédio, mas fico-me pelo genérico

Sexo sem significado



Falha o nome, falta a chama
Só te vejo no leito da cama
Gosto de ti, apenas por instantes…
Somos pouco mais que amantes
Do sexo sem significado
Que gera um frenesim
Apenas por um bom bocado.
Mas pedes mais de mim,
Não te posso dar o que não tenho!
Não fiques agora assim
Que eu amo-te quando me venho…
Às vezes também eu me sinto
Um pouco deslocado
E procuro por ti
Para mais sexo sem significado!


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário