sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Reflexões a quente

Se me perguntarem: quantas vezes te apaixonaste? Não saberei responder. Sinceramente, perdi-lhes a conta. Hoje sinto-me ébrio e cheio de amor. Hoje meti as tripas de fora. Elas ouviram. Ela ouviu. Não acredito em mim. Não peço que acreditem em mim. Hoje sinto-me apaixonado. Hoje sou o melhor. Embora veja os meus amigos com mais cartas que eu. Vejo amigos com antigas namoradas - minhas - amigos a ensinar histórias de embalar. Quem são vocês que acreditam neles?
"Quem não quer estar connosco?"
Não entendo. Estarão a falar de mim também? Hoje fui grande por momentos. Mas prefiro ser pequeno e amar. Hoje as letras fogem-me. Hoje eu estou perdido de amores. Amanhã também. O amor é tão fácil quando o mundo me foge pelos dedos. Hoje lembro-me do cheiro dela. Amanhã não me esqueço. As tripas de fora custam-me o mundo. Ela vale tanto. No meio dos meus amigos sou zero. Ao pé dela sinto-me zero. Ontem fui rei, mas perdi o trono. Ela é tão especial que me foge pelas palavras. Hoje a leitura é minha amiga, a escrita é minha amiga, as letras são minhas amigas - quando não me fogem pelos dedos. Prometi o texto da minha vida, mas sinto-me perdido. Procuro uma musa que já encontrei. Que mãos suaves.  Obrigado por seres quem és. És linda. Hoje sinto-me perdido de amores. Hoje já gritei. Quem és?
Achas que te posso dizer ao ouvido
"És linda"
devagar, como um suspiro. Desculpa a forma abrupta como me apaixono, mas apanhaste-me a meio do caminho. Detesto ser fácil. Adoro quando me tornas difícil. Quem és?
Diz-me que não te conheço, mas que me vais deixar conhecer. Diz-me que também sou uma pedra no caminho que queres meter na tua torre de marfim. Diz que sou lindo, mesmo que me ache feio. Não digas. Deixa-me descobrir. Hoje sou teu. Amanhã também. Se não for...
A minha vida é um tetris... De peças que não encaixam. Hoje sonho com jogos perfeitos. Quem és tu? Dá-me dez minutos para te conquistar, o resto é fácil: deixa o acaso jogar.


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário