sexta-feira, 18 de março de 2011

Reflexões a quente: as mulheres e os saltos-altos

Os homens não se medem aos palmos, mas as mulheres distinguem-se pelos saltos dos sapatos. A confiança delas nota-se pela forma como andam. Algumas deslizam pela calçada: altivas e soberanas. Como se mandassem no mundo e todos nós lhes devêssemos beijar os pés. Outras são mais atabalhoadas. Tropeçam no auge da falta de delicadeza. Não as censuro.
Uma mulher confiante usa sapatos de saltos finos e longos. Isso demonstra a sua confiança. Não tem medo de cair. Sabe que a sua beleza é a sua arma, e o seu carisma sexual é imenso. O seu andar é rápido, mas com classe. Como se o mundo fosse uma banalidade e o centro de todas as atenções fosse ela. Conheço-lhes os passos, mesmo quando não as vejo. O som agudo do salto a bater no solo acorda-me da minha ignorância. Aposto - mesmo sem ver - que traz um vestido justo no corpo. Aposto que é um pedaço de mau caminho - e um ponto de encontro para uma mão cheia de problemas. Todos as adoram. Todos as querem. Não pelos segredos que guardam atrás dos saltos. Não pelos desgostos amorosos que já tiveram. Não pela fragilidade que escondem em cada passo. Não pela genialidade de cada frase - muitas vezes sem sentido, para mim - que proferem quando as deixamos abrir o peito. Todos as querem pelos vestidos justos que as denunciam - noventa por cento das vezes erradamente - ou os saltos altos que fazem imaginar todo o tipo de cenários eróticos. (A falta de romantismo é ridícula. Se eu pudesse mandava cortar a cabeça a todos esses abutres das histórias de amor que se apoderam dos despojos da carne alheia. Sinceramente: metem-me nojo.)
Por outro lado, as mulheres que usam saltos rasos, ou saltos mais grossos, são mulheres frágeis. Mulheres que têm medo dos tombos. De cair na calçada e serem gozadas. Mulheres que não têm medo de mostrar que têm um segredo; que alguém as magoou. Cuja vida já lhes ensinou - e elas aprenderam - que o mundo é cão e nos obriga a sofrer. As rosas são belas, mas têm espinhos. Estas mulheres já se picaram, ou têm medo de se picar. Escondem o corpo atrás da roupa, mas mostram a todos que ali mora a tristeza, a desconfiança pelo sexo oposto e a dor de estarem sozinhas. Também são belas tais mulheres. Não há mulheres feias. Todas têm as suas virtudes, embora nem sempre venham aos pares.
Há sempre algo que as torna superiores. Trazem o poder na ponta dos cabelos e uma espada no olhar. Os sorrisos são portas para a imaginação funcionar. E o corpo? Ai o corpo... As intrigas, os enredos, as novelas, os segredos, os amores, os desamores... As mulheres são mapas de tesouros. São puzzles de milhões de peças. São a saúde na doença. São jogos psicológicos. São faca e queijo. São deusas entre os homens... São a minha perdição. Obrigado ao absinto, obrigado ao amor, obrigado às mulheres. Adoro mulheres, mesmo - sobretudo - quando estão descalças.


PedRodrigues

15 comentários:

  1. esta descrição das mulheres é bastante interessante ....... !

    ResponderEliminar
  2. ESPECTACULAR!!!!
    adOrei!
    parabéns!

    ResponderEliminar
  3. belo texto fiquei maravilhada,:O até porque prefiro andar maioritariamente das vezes descalça que enquadramento perfeito :), muito bem!

    ResponderEliminar
  4. Gosto!
    Faço parte de um dos perfis traçados e achei curiosa a análise...
    Parabéns pelo blog, com trabalhos em prosa e poesia muito interessantes,Pedro.

    ResponderEliminar
  5. Este texto já não merece tanto valor. Enfim, e aquelas que não usam saltos porque simplesmente lhes faz doer os pés, e aquelas que não os usam porque é necessário aprender um pouco de postura para os usar ou fortalecer os gémeos das pernas? Hehehehe

    ResponderEliminar
  6. Gostei do texto, pois me revi na descrição das mulheres que usam os saltos altos e finos. Na verdade, eu nunca tinha feito tal elação, mas tenho que concordar que o autor tem sua razão.

    ResponderEliminar
  7. Fabuloso! Não consigo parar de ler os textos...adoro! Parabéns!

    ResponderEliminar
  8. Adorei. E raramente ando de saltos. Gosto mesmo é de andar descalça! :)

    ResponderEliminar
  9. n sei onde foste buscar alguns dos disparates que para aqui dizes...

    uma mulher n se define por aquilo que calça... mas pela sua personalidade....

    ResponderEliminar
  10. Eu acho que uma mulher que usa sapatos altos e finos nem sempre é segura, ás vezes até mostra aquilo que não é, aquilo que gostava parecer ser.. ou constitui mesmo uma capa de protecção perante outros.

    Mas a tua interpretação também define algumas mulheres mas não é geral, pois as mulheres não são todas iguais.
    Assim como os homens não são todos iguais.

    ResponderEliminar
  11. Simplesmente um texto fantástico! Parabéns!
    Concordo com a Patrícia, nem sempre quem usa salto alto é mais segura mas com certeza é esse o porquê de os usar. O mostrar-nos seguras no meio da incerteza é meio caminho andado para correr tudo melhor.
    Vou seguir!

    ResponderEliminar
  12. Ando sem saltos, simplesmente porque não quero andar... aquelas que andam de saltos também caem, podem ser fracas e mostrar algo que não são verdadeiramente... qual a necessidade disso? pois não sei, o mundo é confuso, nunca se sabe quem é quem realmente!

    ResponderEliminar