sexta-feira, 22 de abril de 2011

Poema número trinta e um


Para ti, minha Musa…


És bela donzela
Doce, singela
De histórias de encantar
És um laivo de poesia
És prosa vadia
Que não me canso de trovar
És um raio de luz
Minha vida, minha cruz
Meu amor de perdição
És um toque e um beijo
Minha libido, meu desejo
Minha luz na escuridão
Sonho contigo no meu leito
Deitada sobre meu peito
Bem junto ao meu coração
Sonho sussurrar-te ao ouvido
Palavras com sentido
Sentimento e comoção
E no auge da eupatia
Dizer-te que o que queria
Era não mais te perder
Olhar para ti todos os dias
Realizar-te as fantasias
E não mais te ver sofrer.


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário