quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Pequena reflexão sobre o dia dos namorados


Amanhã é dia quinze. Imagino que este seja o pensamento de muitas pessoas: “Hoje é dia catorze, mas amanhã é dia quinze.” Nunca entendi muito bem a finalidade de celebrar este dia. Não o sinto mais especial que outro dia qualquer do calendário. Talvez este seja o meu lado cínico e amargurado a falar mais alto – quem sabe? Há um ano partilhei este dia com alguém: não trocámos prendas, não fomos jantar fora, não ligámos sequer a esta data, mas amámo-nos como se fosse outro dia qualquer. No ano anterior passei este dia sozinho, no ano anterior a esse também, no anterior a esse também. Passei maior parte dos dias dos namorados sozinho a cultivar o culto pelo amor próprio. Em todos os outros que partilhei com alguém nunca liguei muito a isso. Não que não acredite no amor, nas demonstrações de carinho, na celebração dos sentimentos. Nada disso. Acredito piamente no amor. Acredito em tudo o que esse amor engloba. Acredito nas palavras e nos gestos que fazemos por amor. Talvez daí este meu cinismo por esta data. Daí este meu descrédito pelos corações de peluche, os cartões e as rosas vermelhas de dia catorze. O amor celebra-se todos os dias. O amor celebra-se a todos os momentos, em todos os gestos - mesmo nos mais pequenos. Aliás, mais nos mais pequenos. Amar implica uma continuidade. Amar e ser amado obriga-nos a darmos o nosso melhor constantemente. Obriga-nos a estarmos atentos. Obriga-nos a construir, todos os dias, uma base para o futuro. De nada valem os cartões, os jantares a dois, os passeios pelos jardins regados de beijos e clichés românticos, se forem, apenas, a consequência de uma data no calendário. O amor está tão banalizado nos dias que correm, não o banalizem ainda mais. Não o marquem com uma cruz no calendário para o celebrarem de ano a ano. Acreditem no amor. Cultivem o amor. Colham os frutos desse amor. Não hoje, não amanhã, mas sempre. Sejam os melhores para quem amam: todos os dias, a todas as horas.
Amanhã é dia quinze: não se esqueçam de celebrar o vosso amor.

PedRodrigues

10 comentários:

  1. Apenas magnífico!
    Custa pensar que para muitos casais, apenas hoje é que se celebra o amor, ficando os outros dias entregues a algo superficial ou até mesmo apenas carnal...
    Infelizmente o que escreves-te é verdade!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. concordo a 100%, penso que passei menos tempo hoje com o meu namorado que num dia normal. tal como tu, não fiz nada de especial no dia de hoje, limitei-me a oferecer-lhe um queque, porque calhou fazer uma fornada hoje para oferecer aos meus pais :)
    muito bom texto, como é costume!
    beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Pedro Rodrigues
    Os meus sinceros PARABÉNS, escreveu exatamente aquilo que eu penso escolhendo precisamente as palavras que se aplicam à descrição que eu mesma faço destas datas. Eu também acho que o Dia dos namorados É todos os dias, o dia da criança É todos os dias ,o dia da mãe e do pai É todos os dias, o dia dos avós É todos os dias, assim como o Natal deve ser quando um homem quiser. Minhas Senhoras e Meus Senhores já pararam para pensar quem é que efectivamente está a comemorar todas estas datas? São os comerciantes, a quem eu peço as minhas desculpas, mas é um facto. Não podemos esquecer-nos que tempos díficeis se aproximam e temos que ter os pés bem assentes na terra.
    Muito obrigada
    Xana Figueira

    ResponderEliminar
  4. Não concordo!

    Acho que o amor, em todas as suas formas - e há tantas - deve ser celebrado ao segundo. Aí tens toda a razão.

    Mas temos um dia dedicado aos Pais, às Mães, às Crianças, aos Avós... não porque não os amemos da mesma maneira o ano inteiro, mas porque nesse dia celebramos esse amor.

    E porque não dedicar um dia do ano, não a amar mais, mas a CELEBRAR o amor dos namorados? Acho óptimo!

    Se há muito marketing envolvido? Há, como em todos os dias-mundiais-seja-do-que-for. Gasta-se mais dinheiro? Sim. Ama-se menos?

    Nem por isso! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo :) gosto deste dia pq sim, n pq noutros dias n faça surpresas ao meu namorado e ñ seja tb surpreendida por ele, mas pq gosto do ambiente q envolve todo este dia :)

      Eliminar
    2. Também concordo com McNafi. Claro que o amor deve ser dado todos os dias. Mas este dia, à parte todo o consumismo, que o há certamente, é acima de tudo a celebração desse amor de uma forma diferente e mais festiva. Só isso. Gosto muito deste dia e nem sempre o passei acompanhada.
      Aproveito para te dar os parabéns, Pedro Rodrigues. Adoro tudo o que escreves, esta é só uma opinião diferente do teu texto :-)

      Eliminar
  5. Olá Parabéns pelo teu blog e pelo texto.
    Revi-me um pouco :) Há uns anos pensava igual.
    Continua a escrever*
    Obrigada

    ResponderEliminar