sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Repete comigo

Não escrevo o teu nome na areia
O mar pode apagá-lo
Não o pinto nas paredes da cidade
Todos o poderão ler.
Escrevo-o numa folha de papel, junto ao meu.
Desenho um coração à volta. Ficamos presos nesse coração.
 
Guardo-te comigo.
Guardo-nos.
Guardo as nossas imperfeições
Guardo as nossas discussões
Guardo os dias menos bons
Guardo tudo.
Não te largo
Não te deixo
Não te esqueço.
Somos tempestades
Abanamos, remexemos, destruímos.
Acalmamo-nos, abraçamo-nos, reconstruímo-nos.
 
Começamos do zero
Até chegarmos ao infinito
Demoramos na viagem
Nada disso me preocupa
Nada disso te parece preocupar
Tens a certeza que caminharemos juntos
(Também eu tenho essa certeza)
É isso que realmente importa
És tu que me importas
Sou eu que te importo a ti
Seguiremos juntos
Juntos, unidos, ligados.
Subiremos à montanha
Não com a certeza de chegar ao seu topo
Mas com a certeza de, onde quer que cheguemos,
Chegarmos juntos.
 
Somos a primeira pessoa do plural
É essa a verdade
Que vale a pena ser repetida
Repete comigo.
Repete-te comigo.
 
 
PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário