sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Amor vs Relações


No outro dia, enquanto vinha no metro, vi um casal de jovens, pareciam-me namorados, cada um no seu banco, agarrado ao seu telemóvel, a sorrir de soslaio para o ecrã. Ao olhar em volta, vi um casal idoso, com muitas rugas partilhadas, de mãos dadas, a conversarem, muito felizes. Reparei, nesse momento, que há um abismo enorme entre o amor e uma relação. Talvez não seja um problema de gerações. Mas eu pergunto-me: onde está o amor? Já ninguém o procura. Já ninguém o quer. Depois lembro-me de outras pessoas, noutros lugares e imagino que esteja muito na moda ter uma relação: construir algo estável ao lado de alguém. Nada contra. Mas onde está a vertigem do sentimento? O viver no fio da navalha? A necessidade de descoberta e a adrenalina da queda livre? Partilhar tudo isto com alguém. Pergunto-me: de que será feita a vida amorfa desses casais? Será que se divertem a contar borbotos em silêncio? Não se olham nos olhos. Não se beijam com vontade – um beijinho na cara, sem jeito. Nada para além do estritamente necessário. Pensamentos pecaminosos com os colegas de trabalho. Falas às escondidas nas redes sociais. Tudo muito ao lado. Tudo muito forçado. Tudo muito feito das necessidades do quotidiano. Parece que já não há amor: há a conta da luz, a conta do gás, a conta da água e a renda de casa para pagar. E o amor que se amanhe no canto dele, escondido entre os borbotos que teimam em se multiplicar.

 

PedRodrigues

2 comentários:

  1. o mundo a nossa volta esta em constante evolução... e isso inclui a sociedade e as relações humanas... e infelizmente a evolução das relaçoes humanas esta evoluir de mal a pior...
    ja nao se vê os olhares apaixonados, dar a mao, falar entre amigos ou mesmo as peqenas disputas de amores...
    agora tudo funciona a base de likes, e smiles e partilhas em redes sociais...
    aqui esta uma evoluçao que bem poderiasmos evitar por mais alguns anos!

    ResponderEliminar
  2. Hoje em dia o ser humano dedica mais tempo ao mundo tecnológico do que ao mundo dos afectos. ..eu pessoalmente não consigo viver sem ele... de várias formas o podemos transmitir mas para tal temos que ter sabedoria também para o receber .

    ResponderEliminar