terça-feira, 17 de maio de 2016

Cartas de amor

Nem todas as cartas chegam ao destino. Há as que se perdem pelo caminho. E com elas as palavras que ficam por dizer. O perfume suave de algum lugar onde gostaríamos de estar, a tinta seca de outras luas registadas a azul no papel. Só o que amamos nos deixa saudade. E a saudade é uma carta. Há quem não a receba, e ache que o amor se perdeu pelo caminho. Não. Perderam-se as palavras, mas tu não. Perdeu-se o papel, mas tu não. Perdeu-se a lua, mas tu não. Mesmo que em todas as cartas te perca, em todos os lugares te encontro. Tu estás onde sempre estiveste: à beira deste nosso abismo, meu amor.
 
PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário