quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O último poema de Outubro

O que mais me custou quando partiste foi pensar que
passaria mais um inverno sozinho.
Não guardei de ti calorias de amor suficientes para
me manter  quente nos dias gelados que se aproximam.

Vem o frio, vem a chuva
e nada disso parece fazer sentido sem ti.
Os dias são mais pequenos e
as noites mais longas.

A solidão é um banho de água gelada.

Talvez morra de hipotermia.



PedRodrigues

1 comentário: