terça-feira, 18 de agosto de 2015

[Notas perdidas pelo telemóvel]

Nem sempre amamos quem nos faz bem.

Por vezes,
trazemos a pessoa errada
no peito;
e a certa na palma
da mão.

PedRodrigues

1 comentário: