sábado, 20 de fevereiro de 2016

No metro


Na linha verde do metro
ao final do dia,
todos entram na
carruagem a correr
com medo de chegar
atrasados aos seus destinos
Os miúdos pintam
os rostos dos velhos
com asneiras e outras 
conversas com cheiro
a charros e cerveja barata
Todos estão presos
às suas vidas
às suas rotinas
Passam os cegos
a pedir esmola
e ninguém os parece ver
Não sei distinguir
quem viverá mais às escuras.

 

 
PedRodrigues

1 comentário:

  1. Vive mais às escuras quem se nega a abrir os olhos

    Quero felicitá-lo pela sua escrita. Ainda não tive a oportunidade de ler um livro seu, mas sigo os seus textos através do blog e de outras redes sociais e gosto mesmo de ler as suas palavras, identifico-me com algumas, outras deixam-me a pensar e todas me fazem esboçar um sorriso. Continue a escrever, porque eu irei continuar a ler. (e um dia próximo irei comprar um livro seu porque tenho mesmo vontade de ler)

    ResponderEliminar