domingo, 3 de abril de 2016

Memória das flores


Tempos há
em que o vento
sopra do reverso
e o verso
nasce nas folhas
das flores
que jurei
um dia te dar.

 
Tempos há,
em que as flores
apanhadas e juradas
regressam ao verso
e o reverso
desse poema
nasce devagar
no teu olhar.

 
PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário