sábado, 29 de julho de 2017

Elogio à individualidade

Deixei há algum tempo de seguir os caminhos que outros me apontam. Talvez porque cada mão aponte um caminho diferente - e eu só posso seguir um, de cada vez. Sempre me disseram que é impossível agradar a gregos e troianos: o que sempre tomei como uma verdade fundamental. Se escolho seguir pela direita, dizem-me ser maluco por não ter optado pela esquerda; se é a esquerda que escolho, criticam-me por não ter escolhido a direita; se avanço, devia ter ficado parado; se fico parado, devia ter avançado. Haverá sempre vozes de contestação, qualquer que seja a escolha. E portanto deixei de me preocupar com as opiniões de terceiros, com as vuvuzelas alheias que só servem para diminuir a minha voz. Sou dono das minhas escolhas. Se cair, terei de aprender a levantar-me; se chegar a um beco sem saída, terei de aprender a trepar. A vida será sempre um corredor com várias portas. Cabe a mim - só a mim - escolher a próxima a abrir. Mesmo que as críticas acabem por chegar. Chegarão sempre. Há tantas opiniões quanto cabeças e, portanto, será impossível agradar a todas. No entanto, ninguém cai com as minhas pernas; ninguém sorri com a minha boca. Neste mundo de dedos incriminatórios e vozes derrotistas, sigo o meu caminho assobiando, ouvindo e seguindo a voz que trago por dentro.


PedRodrigues

Sem comentários:

Enviar um comentário